Podcast – Mamãe & Eu & Mamãe, de Maya Angelou

Destacado

Mamãe & Eu & Mamãe é o livro tema deste sétimo e penúltimo episódio da primeira temporada do podcast do Põe na Estante. A obra é uma das autobiografias de Maya Angelou. A escritora, cineasta e ativista americana nos leva à sua infância e à sua adolescência, para que conheçamos desde o princípio a relação que ela criou com duas mães – a biológica e a avó paterna, que a criou na primeira infância, depois que os pais dela se separaram. Nem o pai, nem a mãe se sentia capazes de criar dois filhos – Maya e o irmão que ela tanto admira, Bailey – e os enviaram para Stamps, Arkansas, onde vivia a avó. Quando Maya tem 13 anos, ela e o irmão precisam voltar a viver com a mãe, em St. Louis, no Missouri. Em meio ao retorno a uma cidade grande, em um contexto de segregação racial, a garota tenta superar o abandono para reconstruir o vínculo com a mãe – mulher que ela descreve como símbolo de elegância, beleza, força, assertividade e determinação. Mamãe & Eu & Mamãe foi escrito quando Maya Angelou já tinha oitenta anos e sobre ele a apresentadora Gabriela Mayer conversa com a produtora cultural Ana Carolina Campos e com a escritora Aline Bei.

IG: @poenaestante
E-mail: poenaestante@gmail.com

Arte: Renan Sukevicius
Trilha: Getz me to Brazil, Doug Maxwell

 

Podcast – O Vendedor de Passados, José Eduardo Agualusa

Destacado

O sexto episódio do podcast Põe na Estante vai à Angola por meio das páginas de O Vendedor de Passados, de José Eduardo Agualusa. Félix Ventura é um vendedor de passados. Ele confecciona árvores genealógicas para uma nova elite angolana que vai se formando depois da guerra civil no país, encerrada definitivamente em 2002. Aqueles que olham para trás e não enxergam tanta glória, ou aqueles que olham e se lembram que deixaram um rastro de sangue ou sujeira procuram o negro albino Félix para reconstruir sua trajetória. Com um passado de luxo em mãos, documentado, eles seguem o rumo. Quem nos conta esta história é um narrador que, por fisiologia, consegue se espremer em qualquer canto e que, por isso, sabe detalhes que ninguém mais saberia. O Vendedor de Passados é um romance de 2004 e é sobre ele que a apresentadora Gabriela Mayer conversa com os jornalistas Laís Duarte e Vitor Tavares.

IG: @poenaestante
E-mail: poenaestante@gmail.com

Arte: Renan Sukevicius
Trilha: Getz me to Brazil, Doug Maxwell

Podcast – A Queda, de Albert Camus

Destacado

Chegamos ao quinto episódio do podcast Põe na Estante com um romance filosófico de Albert Camus. Jean-Baptiste Clamence, como o narrador diz se chamar, é um autointitulado juiz-penitente. Um advogado de defesa parisiense que, a partir de um papo de bar, faz sua confissão sobre a vida, sua revisão de consciência em Amsterdã, cenário deste livro. Meio romance, meio filosofia, A Queda é um monólogo, já que o interlocutor, invisível, nunca aparece, apesar de sempre estar lá. Na verdade, é para mim, é para você, é para nós, leitores, que este narrador fala, jogando uma longa lista de questões sobre a existência, sobre a humanidade, sobre culpa, sobre moral. Escrito em 1956, A Queda foi a última obra publicada por Camus, que morreu em 1960, e é sobre ela que a apresentadora Gabriela Mayer conversa com os jornalistas Natália André e Felipe Bueno.

IG: @poenaestante
E-mail: poenaestante@gmail.com

Arte: Renan Sukevicius
Trilha: Getz me to Brazil, Doug Maxwell

Podcast

O Põe na Estante agora tem podcast. Estreou hoje e o primeiro episódio fala sobre A Vegetariana, livro da sul-coreana Han Kang. Tatiana Vasconcellos, Theo Ruprecht e eu conversamos sobre as nossas impressões a respeito deste livro um tanto quanto perturbador.

A temporada de estreia do podcast tem como tema “Boas-vindas”, por isso é sempre um convidado quem escolhe o livro da vez. Nos primeiros oito episódios, obras variadas, brasileiras e estrangeiras, de homens e mulheres, clássicos e contemporâneos.

Você ouve no YouTube ou no Spotify. Depois me conta o que achou ;)

 

Feira do Livro da USP

Destacado

Começa hoje a edição de número 20 da Festa do Livro da USP. Até o dia 01 de Dezembro, sábado, as editoras vendem obras a pelo menos metade do preço. Entre nove da manhã e nove da noite, nos dias de semana, e até sete da noite no sábado.

Dica: se você for com alguns objetivos definidos, livros que você queira comprar, ajuda. A feira recebe muita gente, os estandes das editoras ficam lotados! Dependendo do horário, é bem difícil ficar escolhendo, vendo opções. De qualquer forma, são descontos que fazem valer encarar uma baguncinha ;)

Livros e Cinema

kinemAndara*A Universidade Federal do Pará realiza hoje no Ateliê das Artes do campus Guamá a mostra kinemAndara, que traz cinco curtas realizados pelo escritor Vicente Cecim. Os registros foram feitos pelo autor, em Super-8, entre 1975 e 1979. O ciclo ajuda a entender sua obra literária, que é baseada no que ele chama de literatura fantasma. Ele escreve livros que remetem a um livro invisível, imaginário, a Viagem a Andara oO livro invisível. A mostra começa às 19h e a entrada é gratuita. Mais informações aqui.

*A cidade de Bauru, no interior de São Paulo, realiza pela primeira vez amanhã o evento Cine Literatura. O projeto é voltado para vestibulandos, já que serão exibidos filmes baseados em obras indicadas pela Fuvest e pela Unicamp. As sessões são gratuitas, realizadas no auditório Helvécio de Queiróz, no Centro Cultural Carlos Fernandes de Paiva. O filme Memórias Póstumas de Brás Cubas será exibido em dois horários – às 9h e às 14h. O site da prefeitura de Bauru também tem informações.

*Falando em filmes inspirados em livros, acaba de estrear o filme Oz: Mágico e Poderoso, baseado na obra de L. Frank Baum. O longa, com James Franco e Mila Kunis, ficou em primeira lugar no fim de semana nas bilheterias dos Estados Unidos. O filme dos estúdios Disney não é a primeira vez que Oz aparece no cinema. Os leitores que quiserem revisitar o clássico de Baum também encontram a obra filmada em O Mágico de Oz, dirigido por Victor Fleming em 1939, com Judy Garland no papel de Dorothy Gale.

*Para encerrar a sessão, só mais uma lembrança kinoliterária: ontem, Douglas Adams completaria 61 anos – ganhou até homenagem do Google. O autor de O Guia do Mochileiro das Galáxias não esteve nas telinhas só quando essa obra foi adaptada para o cinema, em 2005. Adams também era comediante e foi um dos autores de esquetes da série Monty Python’s Flying Circus.