Carrascoza no Põe na Estante

Olha aí, caro leitor! A última dica de leitura do ano vem do escritor brasileiro João Anzanello Carrascoza. Seu último livro é Caderno de um Ausente, publicado no ano passado e que, em breve, vai ter resenha aqui. Ele gravou um vídeo pro Põe na Estante com uma sugestão – é pra já começar 2016 com leitura boa. Corre lá na nossa página do Facebook, que o vídeo já está online. Um feliz ano novo, cheio de bons livros!

André Sant’Anna no Põe na Estante

A dica de leitura de hoje vem do escritor André Sant’Anna, que no ano passado publicou “O Brasil é Bom”, pela Companhia das Letras. Ele gravou um vídeo curtinho pro Põe na Estante, sugerindo pra quem você deve deixar um espaço reservado na estante. Corre lá no nosso Facebook, que o vídeo já está online.

São Paulo (super) literária

FlinkSampaAgenda na mão, porque você vai precisar dela. Vai ser difícil guardar na cabeça datas e locais de tantos eventos literários. Agora em novembro, a capital paulista recebe três festivais que reúnem autores brasileiros e estrangeiros – tudo gratuito.

O primeiro começa hoje (12/11) e vai até o dia 15 deste mês. É o Emil, Encontro Mundial da Invenção Literária, com 200 horas de programação. A iniciativa, da Academia Paulista de Letras, promove encontros em mais de 30 lugares da cidade de São Paulo. A programação completa está no site. Destaque para presença do Nobel de Literatura Wole Soyinka, nigeriano, que fala no Memorial da América Latina, no sábado, às 16h (ele também estará no festival abaixo). No domingo, chamo atenção para a presença do português José Luís Peixoto (com livro novo chegando), que participa de debate com o escritor e jornalista brasileiro Bernardo Ajzenberg, na Livraria Saraiva do Shopping Higienópolis, a partir de 18h. Quem quiser começar hoje mesmo, minha dica é o “Autor em Prosa”, com a escritora Lygia Fagundes Telles, na Academia Paulista de Letras.

Amanhã, começa o Flink Sampa, Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra, que vai até dia 14/11. O evento, organizado pela Universidade Zumbi dos Palmares, já está na terceira edição e tem o cantor Martinho da Vila como homenageado do ano. Destaque para a roda de conversa com a escritora Teresa Cárdenas, nome badalado entre a nova geração de escritores cubanos. Ela fala no sábado, às 11h, no auditória da Biblioteca Victor Civita, dentro do Memorial da América Latina. Outro bate-papo interessante deve ser, no mesmo lugar, mas às 16h de sábado, com os autores angolanos Pepetela e Luís Fernando e o sambista e escritor brasileiro Nei Lopes, na roda de conversa “As Duas Margens do Rio: Brasil e Árica”. A programação inclui, além de literatura, música, cinema, artes plásticas e debates políticos, históricos e sociais.

balada literáriaO terceiro festival que agita a vida literária de São Paulo já é velho conhecido dos paulistanos. A Balada Literária, idealizada pelo escritor Marcelino Freire, começa dia 18 e vai até dia 22. Já são dez anos de evento e a homenageada de 2015 é a cineasta Suzana Amaral, que levou para o cinema “A Hora da Estrela”, em 1985. A abertura será no dia 18, às 20h, no Auditório do Ibirapuera, com show de Chico César. Destaque para o bate-papo com a própria homenageada do ano, na Livraria da Vila, às 11h do dia 19, que tem mediação do músico e escritor Cadão Volpato e participação dos atores Gero Camilo e Marcélia Cartaxo.

Dica: como está difícil escolher que parte da programação incluir na agenda, dê uma olhada nos encontros agendados em todos os eventos antes de decidir. Alguns nomes se repetem em festivais diferentes e podem dar mais flexibilidade na hora de fazer sua própria programação. Divirta-se!

Super Libris

superlibrisDica super bacana pra aprender mais sobre livros, literatura e autores brasileiros. A SescTV, ligada ao Sesc, lançou a série Super Libris em seu canal online (quem é assinante da OiTV também consegue ver na televisão). Em episódios que têm entre 25 e 30 minutos, escritores são convidados a falar sobre um recorte do universo literário – tem papo sobre best-sellers, biografias, contos, literatura infantil, sobre escrever, sobre impressões, um pouquinho de tudo. Para encontrar o capítulo que mais te agrada, é só escolher no índice por tema ou no índice por autor.

Na seção Primeira Impressão, os escritores falam também sobre suas inspirações – livros e autores que despertaram neles a vontade de ler mais e de escrever.

Uma aba interessante de ser explorada no site é a Colofão, em que vídeos curtos mostram as etapas da elaboração, da produção e da venda do livro. Conhecemos um pouco mais sobre os profissionais e os processos envolvidos.

Há ainda outras cinco seções, que trazem os bastidores do processo de escrita, opiniões sobre obras, sugestões de livros importantes para o desenvolvimento das crianças, pílulas com histórias de autores de dentro e de fora do Brasil.

O Super Libris é dirigido pelo escritor e jornalista José Roberto Torero, que conseguiu reunir mais de cem entrevistados nesse projeto. Dica: abra a página com tempo, porque dá pra ficar horas explorando as pílulas, os vídeos e os textos.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

BVL 2Uma visita que vale a pena. Biblioteca e parque juntos, não poderia ser melhor. A Biblioteca Parque Villa-Lobos foi inaugurada no fim do ano passado e oferece uma extensa programação cultural. São cursos, jogos, oficinas e exposições.

Minha visita foi em um dia sem atividades programadas, uma quarta-feira, no fim da tarde.  E tinha gente. Já estava escuro quando sai de lá e vários usuários ainda ocupavam as mesas de leitura. Poucos usavam os computadores – todos com acesso à Internet. Dei uma bela olhada nas estantes e havia todo tipo de de livro. Clássicos, contemporâneos, clássicos infantis, gibis, infanto-juvenis populares e aqueles que inspiram séries de TV.

O prédio é belíssimo e, por dentro, o ambiente é acolhedor e convidativo. Sem contar um deck com vista para o parque, que tem um pôr-do-sol incrível! Os funBVLcionários foram extremamente educados, fizeram o cadastro com eficiência e deram todas as orientações para o uso da biblioteca. Deu vontade de ficar ali, nas almofadas coloridas, lendo a semana inteira…

A BVL fica no Parque Villa Lobos, na Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001, em
Pinheiros, zona oeste de São Paulo. E fica aberta de terça a domingo, das 10h às 19h. Qualquer dúvida, dá uma ligadinha antes de ir, o número é (11) 3024-2500. Bom passeio!

Café Amsterdã

A partir de amanhã, o Brasil recebe pela primeira vez o Café Amsterdã, evento Café Amsterdãorganizado pela Fundação Holandesa para a Literatura (Letterenfonds) para promover os autores do país. Escritores, cartunistas e músicos brasileiros e holandeses se encontrarão para debater as Letras e a contemporaneidade.

O Café passará por São Paulo, com atividades de 26 a 30 de Agosto, e pelo Rio de Janeiro, de 31 de Agosto a 5 de Setembro. Apenas no domingo, dia 30, Curitiba também entra no circuito com o Litercultura Festival. A programação completa, nas três cidades, está no site do evento.

Entre os destaques do Café está o escritor Toine Heijmans, autor de No Mar, que já está no Põe na Estante. Sobre esse romance, recém-lançado aqui no Brasil, ele conversa com o brasileiro João Carrascoza, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, às 15h do dia 30.

A dor e a delícia de pôr na estante

Põe na Estante tirou uma espécie de férias forçadas, por conta de uma reforma que me exigiu tempo quase integral (quando eu não estava trabalhando, estava me dedicando à sujeira e à bagunça que ela gerou). Meus livros passaram uma temporada encaixotados, mas agora estão de volta ao lugar a que pertencem: a estante. E melhor: uma estante nova.

É aí que entra o post de hoje, nascido por sugestão de uma amiga que ficou curiosa pra saber quais tinham sido meus critérios para organizar todas as obras nas prateleiras. Dediquei uma semana inteira a essa tarefa, que se revelou um pouquinho mais difícil do que eu imaginava, mas deliciosa.

Primeira coisa: aquele índice para catálogo sistemático, sabe? É aquela categoria já indicada pela editora no verso da primeira folha do livro, em que estão também as informações bibliográficas. Pois bem. Ele não ajuda muito em bibliotecas domésticas. As categorias são muito específicas, não é o caso de segmentar tanto assim (a menos que você tenha dezenas de milhares de livros, aí talvez seja o caso – eu ainda não tenho).

Eu já tinha um critério definido. No caso da obras de ficção, os livros estariam separados por autor; os autores agrupados de acordo com a nacionalidade; as nacionalidades aproximadas por idioma. Mas eu não tinha pensado nas pequenas decisões (elas que complicaram as coisas). Quando tem vários autores da mesma nacionalidade, como você organiza? Dos mais antigos para os contemporâneos, em ordem alfabética ou dos seus preferidos para os seus preteridos? Acabei optando pela ordem cronológica para facilitar as coisas, mas as vezes eu paro pra olhar a estante e acabou mudando um ou outro de lugar, por achar que ele ficaria melhor ao lado de algum colega diferente.

Em alguns casos, esse parâmetro não me serviu. Achei que o gênero superava o idioma e merecia uma categoria à parte. Mesmo misturando autores, nacionalidades etc, os livros policiais e de mistério, por exemplo, ficaram todos juntos; os grandes clássicos da literatura mundial também (curadoria minha, que inclui aqueles considerados unanimidades, se é que isso existe).

A não-ficção também foi agrupada de acordo com categorias que parecem uma extensa grade curricular: ciências, filosofia, antropologia, economia, política, história, biografias (que ficam perto de história, porque – né? – tem a ver), jornalismo e por aí vai.

Por último, os infanto-juvenis. Escolhi organizá-los em ordem de idade – as obras para crianças menores estão na frente, aquelas para adolescentes, no fundo. Detalhe: todos estão no andar mais baixo da estante, que é pros pequenos alcançarem.

No fim das contas (pelo menos por enquanto), ficou assim.

No fim das contas (pelo menos por enquanto), ficou assim.

As vezes ainda repenso uma ou outra seção, mas tirar os livros da estante e depois arrumar tudo de novo acaba sendo uma diversão danada.

E você, arruma como a sua estante?

ps: a estante ficou pequena demais e algumas categorias tiveram que ir para dentro de um armário =/