Aniversários

O Jogo da Amarelinha - Julio CortázarEste ano O Jogo da Amarelinha, obra do argentino (na verdade, nascido em Bruxelas) Julio Cortázar faz 50 anos. A melhor parte dessa comemoração: a editora Civilização Brasileira reeditou o livro, que há alguns anos estava esgotado no Brasil (pra não dizer que não foi mais vendido, recentemente, o livro podia ser encontrado em um box que homenageava Cortázar). A edição especial tem capa dura e um prefácio de Ari Roitman que lembra a ruptura representada pelo lançamento de Rayuela, no nome original, em 1963. Taí um bom pretexto pra lê-lo e relê-lo.
****

Aproveito outra efeméride para falar de mais um livro que vale a pena deixar despontando da estante: Na Colônia Penal, de Franz Kafka. Destaco a obra porque, além do texto original, a Cia. das Letras apresenta uma versão adaptada para os quadrinhos. O resultado é interessante. O escritor tcheco, um dos principais nomes da literatura do século XX, faria 130 anos em 2013.
****

O último aniversário dessa nota é comemorado apenas em abril, mas já adiantamos o aviso para que o leitor de agenda cheia possa reservar espaços no calendário para assistir a tantos espetáculos e separar espaço na estante para tantas publicações. Os 450 anos de William Shakespeare ocuparão parte significativa da agenda cultural de 2014. Na Inglaterra e nos Estados Unidos, a enxurrada de homenagens já começou. O New York Times já avisou pra ninguém se intimidar

Anúncios

6 respostas em “Aniversários

  1. Prezada e bela Gabriela,

    a rigor, Kafka também não seria tcheco, embora nascido na atual capital da República Tcheca. Praga, então, pertencia ao Império Austro-Húngaro, dissolvido após a derrota na Primeira Guerra Mundial e os famosos Quatorze Pontos de Wilson. A língua na qual escreveu Kafka era o alemão. O mesmo acontece com outro famoso escritor, Rainer Maria Rilke, que, nascido em Prago, é chamado comumente de austríaco.

    Grande abraço e obrigado pelas dicas.

    José.

  2. É a mesma situação de Paul Celan, Mozart e outros.
    Embora Praga à época do nascimento de Kafka não fizesse parte do Primeiro Reich, ela fazia parte da comunidade de língua germânica visto que fizera parte da confederação Germânica de 1815, além de que existia uma aliança entre o Reich e o Império Austro-húngaro (do qual Praga fazia parte) naquele período.

    Mudando de assunto, outro grande aniversariante é Memórias do Cárcere de Graciliano Ramos que foi publicado há 60 anos alguns meses após sua morte. Este livro é uma tremenda fonte para entender não só o mundo interior do autor e sua verve como também o o Brasil do Estado Novo varguista. Eu recomendaria para uma “boa estante”!

    • Bem lembrado! As obras de Graciliano Ramos, no geral, merecem um espaço especial na estante. Este ano, o Põe na Estante lembrou algumas vezes (aqui no blog e na nossa página no Facebook) o aniversário do escritor e as homenagens que ele recebeu – inclusive na Flip. Obrigada pela recomendação!

Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s